O Rodrigo tomou-lhe o gosto…

O Rodrigo agradece a todos quantos lhe deixaram palavras de carinho, e ficou tão contente que escreveu mais um textinho para vos oferecer. Durante o fim de semana iremos criar um blog, onde poderão visitá-lo e ler os seus textos. Obrigada!

“Era uma vez um menino chamado Rui. Rui tinha passado para o 5º ano e não conhecia ninguém da turma. Envergonhado foi para uma mesa no canto da sala e sentou-se sozinho. Outro menino chamado Miguel queria ser amigo do Rui, mas, como ele era envergonhado, deixou passar uma semana, mas ía andando atrás dele. Passado uma semana Miguel encontrou o Rui e viu miúdos com a pasta dele de um lado para o outro. Miguel teve uma ideia e disse:

– Ei, atira aqui para eu passar a outro!

Miguel apanhou a pasta e devolveu-a ao Rui. Depois o Rui e o Miguel passaram a ser amigos. Um dia o Miguel viu o Rui a correr e dois miúdos atrás dele. Miguel corre também e diz:

– Ei, deixem-no em paz senão vamos andar á porrada…

Miguel estava a defender o Rui. Foram os dois para as suas casas, mas antes disso deram o número de telemóvel um ao outro. No dia seguinte era fim-de-semana. O Rui ligou ao Miguel a perguntar:

– Queres vir a minha casa jogar PC?

Miguel respondeu:

– Claro que sim, daqui a 15 minutos estou ai!

Passados 15 minutos Miguel já estava em casa do Rui a jogar PC (computador).

O Rui disse-lhe:

– Miguel vamos jogar o GTA San Andreas?

Miguel responde:

– Ok, esse jogo é muito fixe.

Começaram a jogar quando de repente cai um trovão e a luz vai abaixo. Ficaram, então, a brincar às escuras com carros e outros brinquedos. No dia de escola tudo volta ao normal. E no fim do ano passaram para o ano a seguir.”

FIM

9 Respostas para “O Rodrigo tomou-lhe o gosto…”

  1. Sónia
    Já me andei a passear pelo seu blog, porventura não o farei com a assiduidade que vou ao da Laurinda e da Zilda…não leve a mal. Algo que para mim tem muito valor é ter sido jornalista do Público, tenho uma grande ligação ao Público, dado apesar de ser um jornal do Eng. Belmiro de Azevedo, é um jornal independente, é um bom jornal, assumo que o melhor diário actual generalista de referência. Passo a vida a dizer bem do Público!!!!!!! Por vezes me pergunto, porque o faço? E ter a Sónia querido sair do Público, para se aventurar na escrita para crianças é obra – Boa Obra, para Boa Pessoa!
    Se o resultado dos seus livros, para além da: posso dizer sobrevivência? Ou não? For uma ou duas crianças passarem a ser bem-educadas, terem princípios, valores, referencias, já ganhou a sua aposta! Pode crer! Penso que é indispensável dar às crianças o que lhes faz falta, que não só brinquedos e guloseimas para os quais muitos pais se empenham, é necessário muito mais, para além da própria leitura, que não pode ser substituída por telenovelas e outras coisas piores! E aí aparece a Sónia! Como sabe educar adultos para a “educação” que é muito mais que a escolaridade é muito muito difícil e aí vejo, leio, aparece a Sónia.
    Li hoje no Público algo mais ou menos no género: não deve ser uma brincadeira de adolescentes fazer meninos, dado que como sabe o nosso país ser vitorioso, como em tantas outras coisas em mães adolescentes…e porquê, ainda hoje, quando isto nunca deveria acontecer a não ser por um tremendo azar?…. Porque as crianças não foram responsabilizadas para serem Pessoas de Bem em todas as fases das suas vidas! E hoje uma adolescente não pode fazer um menino como se fosse uma brincadeira, e deve fazer sexo se o fizer com afecto, e prevenindo-se contra doenças e contra a gravidez, e quem ensina, quem responsabiliza quando os pais o não querem ou sabem fazer. Aí entra a Sónia e os seus livros, para um miúdo de 8 anos…Força Sónia.
    Um forte abraço do

    Augusto (Küttner de Magalhães)

  2. soniapessoa Says:

    Obrigada Augusto pela visita e respectivas palavras. Abraço, Sónia

  3. Cá regressei! Espero que seja possível cativar mais crianças para a educação! Esta semana estive a ver na RTP 2 o programa da Fernanda Câncio – muito criticado por a autora ser a namorada do PM – e achei fantástico, como 2 jovens, assumindo o “circulo fehado” do seu bairro, onde a educação e escolaridade são palavras quase sem conteúdo, conseguiram ir em frente nos estudos, contra a vontade dos pais! Os pais não são por natureza “contra” mas não receberam ensinamentos. logo não os sabem transmitir e como é tudo muito fechado sobre o Bairro, as ideias não saem, mas também não entram! E aqui surge a dificuldade de ter que ensinar crianças, cujos pais não foram ensinados! Este é um grande desafio, e deixo-o à Sónia….porque se for vencido é um grande passo! E de maneira alguma se volta áquela frase do Salazar, quando as crincinhas estudavam – mais para aprender a ler – até à 3ª ou 4ª classe, que poderiam “talvez” ensinar em casa os pais a também saber “ler”. Penso que não é por aí!

    Um forte abraço do

    Augusto (Küttner de Magalhães)

  4. Sónia tem a dificil tarefa de tentar com a Sua boa escrita, educar em sentido amplo crianças, cujos pais não o sabem fazer. É dificil mas é a sua escrita que o tem que fazer! E cada vez mais se nota essa tremenda necessidade!

  5. soniapessoa Says:

    As minhas histórias têm esse objectivo. Abraço

  6. Sónia,
    Ele há coisas incriveis… Como dou aqui contigo …Será que consegues saber quem eu sou???
    Fico á espera, só por graça…Mil beijos á tua mãe…

    • soniapessoa Says:

      Claro que sei quem tu és!… bastou passear um bocadinho pelo teu blog… é bom ver-te por aqui, temos de conversar. Beijinhos para todos e até já!

  7. Um bom e merecido encontro. Um abraço às duas Augusto

  8. (comentário não duplicado)
    Um bom e merecido encontro. Um abraço às duas Augusto

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: