Conclusões Possíveis

Responder aos vossos comentários dá um novo post. Faço questão de responder a cada um de vós, porque a minha opinião pessoal tem um bocadinho de todos.

Pessoinha – Claro que sim que é possível, são as chamadas excepções.

Rui – Tens toda a razão, em assuntos do coração não podemos entrar em extremismos.

Pedro – Eu chamo-lhe machismo… se quiseres explico-te porquê…

Ternurinha – Se deres lugar às excepções, concordo contigo e com o Pedro.

Vitor – A razão está do teu lado e de Shakespeare também.

Beezz – Acho que esse preconceito começa a ser ultrapassado… eu chamo-lhe mais más linguas…

Cristina – Quem fala em excepções nunca perde.

Jorge – O teu post é assunto para outra discussão, mas acho que não responde a esta questão. Falamos de coisas diferentes.

Armindo – Fizeste-me rir a valer! A analogia que fizeste pôs-me a pensar…

Jorge Soares – O teu comentário tem tudo a ver com uma coisa a que se chama disponibilidade interior…

CONCLUSÕES POSSÍVEIS

Estas são as minha conclusões (possíveis) sobre um assunto que daria pano para mangas, daria para horas e horas de conversa sem que se chegasse a uma verdade absoluta… claro que sim, que é possível haver uma amizade descomprometida entre um homem e uma mulher, mas por vários motivos e de acordo com determinados pressupostos. Ou seja, “sim é possível” são as chamadas excepções.

Sim é possível, mas em determinadas circunstâncias improvável. Porque, para mim, tudo tem a ver com condições externas e internas ao ser humano. Já sabemos que os homens cedem a uma tentação com mais facilidade que as mulheres, é verdade, mas isso não faz deles uns taradinhos completos que a qualquer saia que se lhes roce comece uma campainha a tocar!! Existe uma coisa chamada “química”, que acredito funcione para ambos os lados… eu não sinto essa química por todo e qualquer um que se me apresente à frente, acredito que com eles também não. Agora vamos partir do pressuposto de que essa química existe, ou melhor, de que se reunem condições para que isso aconteça… não fará diferença se ela ou ele são casados com o nosso melhor amigo? (é apenas um exemplo), condições exteriores.

Disponibilidade… é a palavra-chave nesta questão. Se eu estou perdidamente apaixonada pelo meu namorado, não estou emocionalmente predisposta a uma situação dessas, se sou casada, feliz, e me encontro na plenitude de uma ligação matrimonial, continuo sem ter essa predisposição… ou seja, se em qualquer dos casos houver momentos de saturação, abrem-se brechas que proporcionam o aparecimento dessa disponibilidade emocional, muitas vezes até de forma inconsciente, como quem na incomodidade de uma relação procura um refúgio, uma salvação… que quase sempre acaba em perdição…

Por isso, amigos, todos temos razão, porque esta matéria não depende de um só prisma mas de uma imensidade deles… termino com uma frase que encontrei na net sobre o assunto:

“A amizade é um solo fértil para que o amor cresça”,

cada um de nós escolhe cultivá-lo ou não…

5 Respostas para “Conclusões Possíveis”

  1. Não poderia concordar mais contigo, Sónia. Achoq ue podemos resumir estas ideias numa só palavras: predisposição. Ao ser amiga e um elemento do sexo masculino, não estou à procura de nada pois sinto-me completa no meu relacionamento. Mas nem sempre isto acontece e é “normal” que os nossos sentimentos nos traiam. Depois existem ainda os preconceitos que nos foram incutidos de que um homem e uma mulher não podem ser apenas amigos.
    Esta é apenas a min ha singela opinião e até prova em contrário, estou convicta e acredito na amizade entre homens e mulheres! :)))

    xinhus

  2. Eu concordo exactamente contigo. Há que haver “vontade” de um ou dos dois elementos em questao para que o sentimento cresca e se torne paixao. Agora, se a paixao, essa coisa tao irracional, comeca a existir, torna-se dificil “dizer” nao a esse impulso, por mais que esse mesmo impulso seja a -namorada do nosso melhor amigo-. Portanto, acredito na amizade entre pessoas de sexos diferentes, visto que a minha melhor amiga é isso mesmo, melhor amigA. Mas tenho a certeza que houve momentos em que ambos pensamos em algo mais do que amizade e nao aconteceu, porque simplesmente ambos tinhamos a nocao que isso poderia vir a estragar a relacao tao especial que existia entre nós!

    Beijinhos

  3. pedro oliveira Says:

    Como fui apelidado de machista aceito a explicação…

  4. soniapessoa Says:

    Antes de mais, desfaçam-se as dúvidas, eu não te chamei machista, disse sim que a atitude era machista. A maior parte dos homens prima pela máxima: “olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço”… regra geral, com muito poucas excepções!

    Beijinhos

  5. soniapessoa Says:

    Mas Pedro, que se note que concordei com a tua opinião… tirando a última frase.
    Beijoosssss

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: